Após mais de três meses do julgamento, eis que finalmente os autos da AIJE da PBPrev deverão ser remetidos do TRE-PB para o Tribunal Superior Eleitoral. Venceu no último dia 3, segundo assessores do TRE o prazo para as contrarrazões das partes e, com isso, o processo pode subir para o TSE com os recursos apresentados pelo Ministério Público Eleitoral e os advogados da Coligação A Vontade do Povo (PSDB).

A demora causou certo mal-estar na relação entre advogados e os magistrados, afinal o julgamento ocorreu desde 4 de maio, quando a Corte pela absolvição do governador Ricardo Coutinho (e sua vice Lígia Feliciano), pelo placar de 5 a um. “Mais de três meses é um pouco acima do razoável”, queixou-se um dos advogados.
Parecer –  Em seu parecer, o procurador eleitoral Marcos Queiroga destacou que “entre o primeiro e segundo turno (cerca de vinte dias), foram 363 deferimentos, quantidade próxima a 2011 e 2013 somados… durante o micro processo eleitoral, o quantitativo foi superior a todos os anos três anos anteriores… é nítido o abuso de poder!”

Em outro momento: “Os deferimentos se seguiram às eleições, mas os motivos foram óbvios: satisfazer os compromissos com as associações de professores, sendo mais de setecentos beneficiados”. E se reportou ao prosseguimento dos pagamentos após as eleições: “Suspender os pagamentos seria muito infantil, porque ficaria caracterizado o uso da máquina com finalidade eleitoreira.”

Tribuna10
Fonte: Euder Moura

Compartilhar:
Alaninfo

ALEX GONÇALVES

Alex Gonçalves é radialista DRT4220-PB.Natural de São José de Piranhas, fomado em Letras pela UFCG. Atua no ramo de jornalismo há 15 anos, foi editor repórter do portal Radar Sertanejo durante nove anos.É funcionário público estadual desde 2010 e atualmente apresenta o programa Radar em Alerta na Terra Nova FM.

0 Comentários até agora, adicione o seu