O município de São João do Rio do Peixe, cidade localizada no sertão da Paraíba, tem no seu quadro de pessoal um número muito alto de funcionários contratados e comissionados, bem maior que cidades com população maior.

São 391 funcionários contratados e em cargos de comissão, enquanto os concursados perfazem o número de 530. Somam-se ainda aos contratados e comissionados, três agentes políticos (prefeito, vice-prefeito e membro do conselho tutelar), totalizando 394 funcionários que não são efetivos. A folha de pagamento do mês de agosto, com os não concursados, alcançou a inacreditável cifra de R$ 1.745.612, 20.
   
Desse total,  R$ 429 mil são pagos aos contratados; R$ 183.400  aos comissionados; e R$ 24.598 aos agentes políticos, totalizando um valor de 1.745.612, 20 destinados a essas categorias de funcionários que não são concursados; sendo que R$ 1.102,442, 32 foram gastos com os servidores efetivos. As informações constam no site do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

As razões para tamanho disparate todos sabem: o empreguismo desenfreado e politiqueiro, no qual os “fraternos” se sustentam. O mérito é o que menos conta nessas contratações. O que vale é o número de votos que obteve em eleições disputadas, o parentesco e amizade com agentes políticos e o compromisso imoral de apoio e rendição em futuras eleições.

Uma política desastrosa que valoriza apaniguados em detrimento da competência e dedicação de milhares de cidadãos; tornando o município refém da incompetência e tolerante às mazelas administrativas.
 
É urgente e necessário que o cidadão e os agentes políticos se conscientizem de que esse modelo frágil e aparente de emprego é extremamente danoso ao desenvolvimento de um município e ao bem-estar dos moradores. A fatura que se paga por um emprego público temporário e apadrinhada é altíssima.

Com a proximidade das eleições municipais precisamos redobrar a vigilância e resistir às tentações e seduções momentâneas, e acreditar que, somente com civilidade, cidadania e honradez é que construiremos uma sociedade mais justa, com uma administração honesta, responsável e compromissada com os legítimos interesses de uma  população.

Por Alex Gonçalves, Tribuna10
13/09/2019.
Ponto de vista  

Compartilhar:
Alaninfo

ALEX GONÇALVES

Alex Gonçalves é radialista DRT4220-PB.Natural de São José de Piranhas, fomado em Letras pela UFCG. Atua no ramo de jornalismo há 15 anos, foi editor repórter do portal Radar Sertanejo durante nove anos.É funcionário público estadual desde 2010 e atualmente apresenta o programa Radar em Alerta na Terra Nova FM.

0 Comentários até agora, adicione o seu